Data Migration Assistant [DMA]–Realizando Migrações para o SQL Server 2016

Posted on fevereiro 21, 2017

2


 

Introdução

No maior evento de SQL Server do mundo, Pass Summit aonde tive a honra de palestrar com Murilo Miranda alguns anúncios foram realizados e um deles foi o novo produto para se trabalhar com migrações de SQL Server chamado – Data Migration Assistant [DMA] . Antes do produto ser lançado geralmente utilizávamos o SQL Server 2014 Upgrade Advisor para esse tipo de projeto.

 

O Data Migration Assistant não é de fato somente um SQL Server 2014 Upgrade Advisor com novos updates e um novo brand , é sim uma ferramenta completa, robusta e muito inteligente para se trabalhar com migrações e assessments para SQL Server 2016 e Azure SQL Database, a idéia principal da ferramenta é diminuir o esforço para migração, apontar problemas, incompatibilidades e melhores práticas, nesse post iremos realizar a verificação dos principais assessments para a versão 3.0 lançada em Janeiro de 2017 – https://blogs.msdn.microsoft.com/sql_server_team/data-migration-assistant-dma-v3-0-is-now-available/ 

 

SQL Server 2016 SP1 foi lançado recentemente e com todas as mudanças, agilidade no processo e novas features, o produto SQL Server se torna muito desejado, até o começo desse ano nosso time já realizou mais de 5 migrações para 2016, o que é realmente muito grande comparado a versões anteriores aonde se tinha um delay maior, isso se dá muito a nova estratégia da Microsoft assim sendo eleito como “The First in the Magic Quadrant for Operational DBMS

 

Assessment para SQL Server 2016

 

A ferramenta pode ser encontrada aqui, após o download abra o Data Migration Assistant para começar o processo, aqui iremos falar da opção de compatibilidade e assessment para SQL Server 2016.

part1

(Figura 1 – Criação de um Novo Projeto no DMA.)

 

Abrindo a ferramenta iremos utilizar a aba de “New” para criação de um assessment, após isso coloque o nome que deseja chamar esse projeto, e nesse caso iremos utilizar o “Source Server Type” e o “Target Server Type” como SQL Server, porém a ferramenta irá muito mais do que realizar migrações de SQL Server para SQL Server, na versão atual (3.0) temos somente a opção de utilizar SQL Server/Azure SQL DB como target porém o time está trabalhando para disponibilizar mais fontes e targets, veja aqui – https://blogs.msdn.microsoft.com/ssma/ 

 

part2

(Figura 2 – Especificações dos Recursos e Versão do SQL Server.)

 

Avançando para a próxima página, iremos selecionar o “Target Version” que pode server SQL Server 2012/2014/2016, e qual o tipo de report que desejo ter, nesse caso temos dois disponíveis:

  1. Compatibility Issues = Nessa opção a engine do DMA irá procurar e analisar no banco ou bancos de dados selecionados todas as incompatibilidades encontradas além de mostrar erros ou problemas para a migração (SQL Server 2016).
  2. New Features Recommendation = Baseado no banco de dados escolhido a engine irá realizar recomendações das novas features do SQL Server 2016 baseado na utilização da base de dados. Essa parte é uma das mais interessantes, além de encontrar possíveis problemas para a migração o processo irá realizar recomendações de quais features podem ser aplicadas para melhorar a performance e usabilidade do banco de dados.

 

part3part4

(Figura 3 – Conexão com o Servidor Fonte e Banco de Dados.)

 

Após a fonte e banco de dados selecionado, aperte em Start Assessment, a partir de agora a engine irá verificar o banco de dados selecionado e procurar por problemas ou algum impedimento para a migração da base de dados além de gerar recomendações para features do SQL Server 2016.

 

Aba de “Compatibility Issues”

part6

 

O Data Migration Assistant encontrou algumas “Compatibility Issues” para migração do SQL Server 2016, o grande diferencial dessa ferramenta é o nível de detalhamento no qual se consegue ter, antigamente era bem difícil saber exatamente em qual local o erro estava porém agora como o DMA tudo ficou mais fácil, existem divisões das issues para que fique ainda mais claro o que cada uma representa, nesse caso selecionando a aba de “Behavior Changes” conseguimos ver que por exemplo que o Full-Text Search sofreu algumas mudanças na Engine, alem disso no “Impacted Objects” somos capazes de ver qual o objeto no qual a recomendação foi lançada, isso facilita infinitamente nosso trabalho porque agora conseguimos descer no objeto para verificar a aplicar as modificações devidas.

 

part5

(Figura 4 – Problemas de Compatibilidade Encontrados, Aba de Compatibility Issues.)

 

Aba de Feature Recommendations

part7

 

Como selecionado anteriormente, na aba de “Feature Recommendations” conseguimos ter insights de recomendações realizadas pela própria ferramenta para a engine do SQL Server 2016, se olharmos na aba de storage conseguimos ver algumas recomendações geradas pela ferramenta. Pessoalmente essa é a parte da ferramenta que mais me interessa, não somente te aponta em quais possíveis problemas você pode passar/ter durante a migração para o SQL Server 2016, mas também te mostra quais as novas features mais apropriadas para o seu banco de dados assim você não fica com o sentimento de ter migrado para uma nova engine e não esta aproveitando o que tem de melhor.

Uma das recomendações geradas para esse banco de dados foi a utilização do Stretch Database , além de ser eleita como “High Value” o que significa que se implementada o resultado será de grande impacto. Se deseja saber mais sobre o Stretch Database recomendo verificar a apresentação que realizei no TugaIT em 2016 sobre esse tema, você poderá ver o Slide Deck aqui – http://tugait.pt/2016/sessions/stretch-database-saving-costs-of-historical-data/ 

 

part9

(Figura 5 – Recomendações Geradas pelo Data Migration Assistant.)

 

A idéia e o formato proposto pelo Data Migration Assistant [DMA] é que os processos sejam tratados como Projetos por isso ele irá automaticamente salvar os assessments que você realizou assim você pode ajustar/validar/verificar a qualquer momento que desejar acessando o projeto criado anteriormente.

 

part10

(Figura 6 – Projetos Criados no Data Migration Assistant.)

 

Conclusão

 

Conseguimos ver claramente a proposta dessa ferramenta é muito claro que a facilidade e benefício de migração são enormes, além da agilidade no processo, no próximo post iremos ver sobre assessment de Azure SQL Database, deixem seus comentários aqui, até mais e espero que tenham gostado.